Concurso de Decoração Natalina

Areopago-Irineu-Concurso-Natal
Você pode também escutar esta crônica na voz de “Gilberto Macedo”

Você considera a vida uma sucessão de desafios? Pois é. Mesmo não querendo desafios, eles aparecem e exigem uma atitude! Tem gente que vive à procura de desafios. Outros a fugir deles.

Relato um episódio.

Em final do século passado… sim, um pouco antes do início deste século, vi-me diante de um desafio. Era uma grande empresa, eu exercia uma gerência. Ocupávamos vários andares de um edifício em uma área nobre nos jardins.

A gerente recém-contratada, muito criativa, católica fiel, conservadora, era da área de telemarketing (naquela época era outro o nome). Promoveu um concurso de decoração de ambiente. Quatro andares participariam. Tema: Natal.

O desafio? Eu coordenava a equipe do terceiro andar. Outro gerente e equipe ocupavam-se da decoração do quarto andar. Restrinjo-me aos dois andares, os protagonistas.

No quarto andar foi construído um cenário natalino daqueles de cinema. Imbatível. Cachoeira e manso regato com águas cristalinas de verdade, Papai Noel na sua carruagem puxada pelas nove renas mágicas circulava de cá para lá e de lá para cá sobre trilhos invisíveis, montanhas e pinheiros cobertos de neve. Um espetáculo! Festa aos olhos. Música aos ouvidos animava o ambiente.

O cenário surgira de um dia para o outro. Contrataram profissionais para construir a obra! Era proibido. Não houve impugnação por falta de provas. Tínhamos que encarar o desafio. E agora, José? E o mais perturbador era que o José era eu!

Disse ao pessoal: Calma! Vamos pensar. Temos que ter uma estratégia. O Golias já está a postos. Nós temos que encontrar a funda e as pedras de Davi. Competição desigual, mas não temos escolha – havemos de encarar, mesmo sabendo do tamanho da dificuldade. O importante é competir!
Falei sobre essa importância, sem entusiasmo. Sobressaía mais desânimo na “tropa” do que coragem!

Passei o dia inteiro rezando aquela oração do peregrino russo: Senhor Jesus Cristo, Filho do Deus Vivo, tende piedade de nós, pecadores! Precisamos de ajuda: luz e inspiração.

Reuni o pessoal e expus a ideia: – Não temos como competir em termos visuais. A plasticidade elaborada na decoração do quarto andar é quase perfeita. Ninguém pode duvidar. Em vez de tentar igualar ou superar, iremos por outro caminho. Construiremos uma mensagem de autoria coletiva. Todos por um e um por todos! (Na falta de um ditado mais forte!)

O título escolhido: O VERDADEIRO SIGNIFICADO DO NATAL. Em letras garrafais ele aparecia à vista dos que saíam do elevador e também ao abrir a porta de vidro do imenso salão do terceiro andar. As letrinhas cuidadosamente alinhadas sob fita métrica, dispostas amorosamente.

Façamos tudo com amor. O amor aperfeiçoa a obra. Palavras de ordem que funcionavam como alimento à esperança.

Com fios de nylon e grossos barbantes, dispusemos um contorno de árvore de Natal. No teto, bandeirinhas em forma de triângulos isósceles verdes imitando folhas de tamanhos iguais. Bolinhas vermelhas de cartolina indicavam as virtudes. Em cada folhinha um bilhetinho dos participantes com felicitações ao Aniversariante! Texto livre, sem revisão e sem correções. Do jeitão que a emoção e a razão ditavam a cada um. Escrito à mão.

Numa coluna toda encapada com papel crepom um memorando (naquele tempo não havia email) de Jesus Cristo para a Humanidade. O assunto: Meu pedido para vocês. No texto apareciam os itens conforme as letras do alfabeto: A-mor; B-ondade; C-aridade; D-esprendimento etc. Z-ênite!

Em outra coluna também encapada, o memorando da Humanidade para Jesus Cristo. O assunto: Nossa resposta, os presentes que oferecemos. Um amontoado de caixas de presentes e pacotes desordenados cada um com um título: A-dversidade; B-rigas; C-orrupção; D-ivisão etc.. Z-ueira!

Nada de Papai Noel! Foi proibido o bom velhinho. Não convinha adotar nada do mundo dos negócios. Tudo tinha que vir do Alto. Por isso, a árvore desenhada e pendurada no teto. Montamos uma árvore plantada no chão cuja ponta chegava ao céu. Um enorme laço vermelho pendia lá do Alto, como o coração de todos derramando-se pelas folhas.

Nas paredes contamos a História do nascimento do menino-Deus. Presentes os reis magos, o anúncio do Anjo, o Sim de Maria. O presépio contado. Tudo em poucas palavras.

Como as mensagens estavam distantes dos olhos nos pequenos triângulos lá no alto, cartaz com explicação aos visitantes:

Aniversariante Jesus,
As arvorezinhas penduradas no teto balançando de acordo com o vento contêm o “eu ofereço e agradeço” de cada um dos que aqui trabalham. As bolinhas vermelhas recortadas de papel registram os presentes que oferecemos. Não queremos pedir nada a Você como fizemos o ano inteiro. Apenas lhe oferecer e agradecer. Simplesmente homenagear e parabenizá-lo. Só isso! A letra e a cor da tinta das mensagens manuscritas podem não ser bonitas, as palavras inadequadas, os recortes dos enfeites de papel podem não estar perfeitos, mas refletem cada um de nós, imperfeitos, porém com vontade de acertar. Não tão belos, mas com vontade de fazer bonito para Você no Seu Aniversário. Em cada detalhe, um toque humano. Sucata tingida de dourado e outras cores nobres para construir a grande árvore. As guirlandas feitas à mão, as pilastras recobertas de verde-esperança. Em cada detalhe, uma pitada de amor! O enfeite mais precioso é o coração agradecido. Aceite-o por inteiro!

A comissão julgadora visitou todos os andares analisando as decorações competidoras. Composta de diretores, convidados de outras empresas que existiam no mesmo edifício. Aos apresentadores de cada decoração toda a atenção era dirigida, anotações eram feitas nas pranchetas.

Reuniram-se os julgadores para deliberação. Após cada um se manifestar, a decisão: A premiação fora dividida pelo empate. O quarto andar pela beleza plástica e o terceiro andar pela profundidade da mensagem! Quem deveria dar o voto de Minerva não desempatou. Ficou dividido também.

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós!”
Encarnamos: E a Palavra se fez encanto e brilhou tanto quanto a beleza plástica!

Feliz Natal!
Aleluia!

Separamos outros artigos que talvez possa interessar

26 respostas em “Concurso de Decoração Natalina”

As mensagens natalinas, a exemplo do amigo Irineu e das pessoas que o ajudaram naquela competição, não surgem da criação, mas sim da emoção e do sentimento natalino. Coração de competidor, nem sempre espelha uma emoção comovente. No mais das vezes, o ganhar não engrandece aquilo que se ganha. Daí porque a equipe do Irineu, na competição, deve ter agido com a cor ditada pelo Coração, cor esta preponderante no aniversário do Rei Celeste.
Parabéns amigo. Ao ler a crônica senti-me te ajudando a ganhar o concurso. Abraços Rubens.

Texto Encantador como sempre!
Jesus se fez pequenino e habitou entre nós. Seu Reino está no meio das nossas fraquezas, e misérias!
Ele vem na simplicidade e nos acolhe.
A decoração que brotou do coração foi a
Mensagem sincera e verdadeira, a mais
agradável para o aniversariante!
Obrigada Irineu por tão belas reflexões .
Desejo um Feliz e Santo Natal, para você e toda a família!!
Grande abraço

Em um Concurso de decoração natalino, se a simplicidade fez frente ao decoração de brilho, de luxo,isto só nos mostra que o verdadeiro sentido de Natal esteve aí presente em toda a sua plenitude.
Natal é amor, perdão, reconciliação, união…..
Para você e toda família, Um Feliz Natal , com as bênçãos do Senhor.

É mais uma prova de que Deus age tanto nas grandes quanto nas pequenas coisas. Apesar de ser uma disputa/gincana o tema principal era o seu nascimento. Como nasceu na “pobreza” e depois recebeu presentes “valiosos”, nada mais justo do que ter sido decretado empate no caso. A simplicidade retratada (3° andar) e a riqueza buscada (4° andar), conjuntamente, o representaram pois Ele é o Nosso Senhor na Terra e no Reino dos Céus!

Olá querido amigo e irmão em Cristo Irineu!
Diante de tanta reflexão e provocação no ponto de vista teologico você fechou com chave de ouro ,levando o leitor a refletir sobre o verdadeiro sentindo do Natal onde o sistema capitalismo colocou no lugar do protagonismo o velho e bom velhinho…
Nós como Cristão não podemos nos deixar contagiar com os simbolismo que o sistema nos impoem nesta época,penso que podemos refletir sobre as luzes dos pisca pisca,sobre os presente deixado nas arvores,e como estamos inseridos em um pais de um clima tropical…O que esta por de tras das neves?
Fazendo esta releitura acredito que possamos ser sinal de brilho,luz diante da escuridão,podemos ser alento,aquecer os nossos corações fazer uma manjedora constante a todas as pessoas pelas quias iremos nos encontra..
Estamos preparados para estes desafios ?
Qual o presente que podemos oferecer ? Como pessoas cidadões engajados?
Este é um grande desafio para permanecemos com o espirito Natalino,ao longo de todo o ano de 2021..
Como diz o nosso cantor,poeta e compositor Pader Zezinho…
” O Natal pode ser todo dia que cada familia se comprometer”….
Um feliz e abençoado Natal a todos!
Obrigada por provocar esta reflexão!
Paz e bem !

Ehhh! Maravilha. Um feliz Natal e, que saibamos aceitar e respeitar o outro. A decisão é sempre do Criador.
Deus abençoe a todos.

Amei. E a praticidade plástica de me chamar pra não desistir do texto foi (×). Só você querido irmão pra me fazer ler um texto na mídia celular até o fim. Feliz Natal FAMÍLIA !

Lindooo. Natal é Deus.Natal é simplicidade.Natal é amor👋👋👋O senhor arrasa.🙏

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.