Mulher, ápice da criação

Areopago-Irineu-Maio-Mulher
Você pode também escutar esta crônica na voz de “Gilberto Macedo”

Mês de maio é mês das mães! Mês mariano!

Falar de mãe é como falar de amor. Sim, e quando se fala de amor, não há como não se referir a Deus. O evangelho de João afirma que Deus é Amor. Às outras confissões religiosas também o amor deve estar relacionado com a divindade.

No relato bíblico da Criação, a mulher foi a última criatura. Na verdade, o ápice. Mulher, mãe e esposa. Imagem e semelhança mais terna e meiga de Deus. Dessa afirmação, ninguém duvida. Alguns dizem que essa classificação de Deus como substantivo masculino não é lá muito católica. Católica no sentido de universal, importante esclarecer.

A propósito tem um livro e um filme que retratam Deus na figura de uma mulher negra, gorda, simpática, boa cozinheira. E chega a ser convincente. Tem cara de mãezona. Aquela que é todo colo, sorriso e aconchego. A mãe de muitos é assim. Pode mudar a cor da pele, a compleição, mas deve ser simpática e deve cozinhar bem. Há mil razões para crer que todas as mães são simpáticas e cozinham bem. Nunca ouvi alguém afirmar que a mãe é antipática e que cozinha mal. Selfie de mãe revela Deus e mostra Nossa Senhora!

Ao nascer, a criança sente que é parte da mãe e isso até os seis meses de idade. Não se imagina um ser distinto, individual. Confunde-se com a mãe. O útero materno é muito, mas muito mais aconchegante do que o útero social. Este expõe a riscos, aquele protege por inteiro e é auto-suficiente. Mãe, portanto, indiscutivelmente é obra privilegiada da criação.

Quando se pesquisa os melhores alimentos do mundo, encontra-se, no topo da lista, em primeiríssimo lugar, o leite materno. Sem contra-indicação. Uma centelha divina, com certeza! Dádiva da maternidade. Alimento insubstituível. Sim, alimento completo.

As primeiras testemunhas da Ressurreição foram as mulheres. Não guardaram para si a alegria de saber que Jesus vive. Cá entre nós, até os dias de hoje cabe à mulher e mãe testemunhar ao mundo, especialmente, aos filhos, netos e bisnetos a verdade de que Jesus ressuscitou e está vivo, entre nós. São elas as primeiras catequistas. Os homens devem colaborar nessa divina missão.

Ser mãe implica enfrentar doenças infantis e noites mal dormidas. Olhar cuidadoso constante e renúncia ao descanso. Um universo de ocupações diárias com a criação e educação do filho. As mães quando partem desta vivem face a face com o Altíssimo. Intercedem pelos filhos que aqui ficaram. Não se pode imaginar que mudem a sua rotina materna. Mãe é vigília constante. Merece o filial louvor.

A Mãe e o Pai ajudaram ao filho crescer em estatura, graça e liberdade. No alto da cruz, no sangue derramado havia o sangue de Maria, sua Mãe. Amor materno sem medidas. Tudo suportou. Tamanho do amor divino.

“Quando se completou o tempo previsto, Deus enviou seu Filho nascido de uma mulher” (Gálatas 4,4). Esse versículo de São Paulo tem uma grande importância. Providencial a explicação “nascido de uma mulher”. Maria de Nazaré, com o seu SIM mudou a história da humanidade. Quantas mulheres hoje respondem não à maternidade, por medo, despreparo ou irresponsabilidade. O seu sim é a permissão à prática do aborto. Como é triste perceber que a mais alta corte do Judiciário inventou a tese de que gravidez interrompida até os três meses não significa aborto. Legisla indevidamente e aplica inapelavelmente. Não se pode silenciar sobre essa cultura do descarte, como se a vida não fosse mais o bem precioso e inalienável. Somos totalmente contrários a tal aberração. Viva à vida e à mãe!

Separamos outros artigos que talvez possa interessar

20 respostas em “Mulher, ápice da criação”

Realmente ser mãe é ser um pouquinho de Deus, ser mãe é Tam especial que Deus quis tbm ter uma mãe que o embalou, alimentou, ensinou mesmo sabendo ser Ele filho de Deus. Amo ser mãe. Mesmo sabendo que aquele que ela ama incondicionalmente não tem o mesmo amor. Parabéns pelo belo texto.

Olá Irineu bela reflexão ! Além de potencializar o valor é o papel da mulher dês da criança até a mais bela palavra que pronunciamos no momento de dor , insegurança e desespero…Já passaram mais de dois mil anos e o mundo repete a mais sublime melodia “Ave Maria” Maria de tantas raças ,etnia e cores … E continuamos fazendo parte e escrevendo a nossa história somada junto com a história do povo de Deus…Obrigada por esta partilha

Parabéns pelo belo texto, Irineu !!
Muito linda a sua mensagem.
Deus abençoe a todas as mães, que cuidam não só dos seus rebentos, mas também daqueles que a vida lhes deu a missão de proteger.

Calhou muito bem. Mês das mãese, pra todos que observarem este texto nunca vai ser o mesmo pensamento. Deus é amor criou a flor que brotou mais amor. Parabéns mães! Parabéns mulher!

Irineu, você como sempre, coloca toda a sua alma nos seus escritos.
Esse texto é uma poesia, tão linda, bela e meiga, como todas as mães. Obrigado por partilhar.
Forte abraço.

Até os seis meses a criança se acha parte da mãe, não se imagina outra pessoa ..
Pois o amor que recebeu e conheceu no útero, foi o alimento da alma!
Mãe se acha uma só com o filho a vida inteira! Obrigada meu Deus por essa dádiva preciosa com que nos presenteou!
Obrigada Irineu por nos levar à tão bela reflexão!
O Senhor abençoe todas as mães que passam a vida orando por seus filhos !!

Maravilhoso texto. Ser mãe realmente é um compromisso com o amor, dedicação, e muita responsabilidade. Obrigada por nos fazer refletir. ♥️

Mais um lindo texto, que toca nossos corações! Mãe, sinônimo de amor, cuidado, carinho e dedicação! Com certeza, quando partem, vivem face a face com Deus 🙏💖

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.