Uma perspectiva ética sobre a Ecologia (Pt 3)

Areopago-Edson-Etica-Planetaria-3

Visão prática da Ética Planetária

Para Leonardo Boff, faz-se necessário uma revolução global, porém combinada, o surgimento de uma ideologia revolucionária, sintonizada tecnologicamente e articulada, que tenha uma base coesa, poderosa, capaz de sugerir e efetivar mudanças radicais, na qual sem elas, a humanidade caminhará de encontro ao pior dos destinos. Portanto, é necessário construir-se uma base de princípios éticos, que abra possibilidades de encontrar soluções, também de âmbito político, tecnológico, integrador de forças guiadas pela responsabilidade moral do compromisso com a preservação da vida na sua dimensão planetária e humana, vistas de modo integrativo, na sua complementariedade e interdependência, holisticamente, para a salvação da Terra, e da humanidade em geral.1

Uma saída iminente para o problema da destruição do planeta Terra, segundo Hans Küng, baseia-se numa regulamentação ecológica, mas que seja elaborada por pessoas imbuídas de determinadas convicções e posturas em que o interesse econômico pelo lucro corporativo não fique degraus acima da consolidação da solidariedade social e do consumo sustentado de maneira responsável com a preservação do patrimônio ambiental da humanidade. A ética mundial será responsável pela ordem mundial, desde que se invista em educação em geral, porque, do que valem as leis, e as normas jurídicas, existentes nos países, para a defesa e proteção do planeta, quando sabemos que elas são corrompidas por pessoas que abusam do seu poder político e econômico e não se importam cumprir as leis que tratem do zelo pelo bem das comunidades humanas.2

No documento da Comissão Teológica Internacional, na sua parte conclusiva no artigo 116, é feito um convite aos especialistas e porta-vozes, religiosos do mundo, para que elaborem conjuntamente, propostas de soluções através de um trabalho análogo, com reconhecimento em comum, de normas morais, universais e fundamentais, que, superando as diferenças, promovam a compreensão dos objetivos da ética ecológica humana, por tratar-se de um trabalho urgente, cujo interesse, afeta a todos os membros da família humana.3

A Teologia propõe o caminho do diálogo ecumênico e inter-religioso, uma vez que se faz necessário o surgimento de uma Teologia Planetária, a qual deverá representar um grande papel frente ao contexto atual. Esta nova teologia mediará o caminho do diálogo entre a tradição e o paradigma ecológico, sendo a possível geradora de uma consciência planetária, defensora e testemunha da vida e seguirão fiel dos princípios de seu Mestre e Senhor Jesus:4 “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância”, (Jo 10, 10).

Notas
1) BOFF, Leonardo. Ethos Mundial. Editora Record, Rio de Janeiro — São Paulo, 2009. p. 17.
2) KÜNG, Hans. Projeto de Ética Mundial. Paulinas, São Paulo, 4ª ed. 2003. p. 68, 69.
3) COMISSÃO TEOLÓGICA INTERNACIONAL. Em busca de uma Ética Universal: Novo Olhar sobre a lei Natural. Disponível em: http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/cti_documents/rc_ con_cfaith_doc_ 20090520_legge-naturale_po.html#CAPÍTULO_4:A_LEI_NATURAL_E_A_SOCIED ADE_POLÍTICA
4) OLIVEIRA, Pedro A. Ribeiro de e SOUZA, José Carlos Aguiar de (organizadores). Consciência Planetária e Religião: Desafios para o século XXI. Coleção: Estudos da Religião. Editora Paulinas, São Paulo, 2009. p. 161.

Acesse a outra parte deste artigo no link abaixo

Separamos outros artigos que talvez possa interessar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.