Experienciando o Paraíso

Areopago-Irineu-Experimentando-Paraiso
Você pode também escutar esta crônica na voz de “Gilberto Macedo”

Você se imaginou criando seu próprio exercício espiritual?
Provavelmente nunca tenha pensado nisso. Compreensível.

Num final de semana executando um trabalho que envolvia seleção de músicas, pus a tocar como trilha sonora, enquanto trabalhava, a música Yerushlayin Shel Zahav, Jerusalém de Ouro. Música israelita muito conhecida. Foi cantada por Roberto Carlos, em seu show na Cidade Santa.

Fixei-a para tocar insistentemente.
Na casa inteira a melodiosa canção, composta por Naomi Shemer, na voz de Ofra Haza reinou soberanamente!

Inspirado, pensando numa pessoa próxima a mim que sofre de transtorno de personalidade, pus-me à oração de intercessão pelas pessoas portadoras de transtornos mentais, dependentes químicos, desempregadas, sem teto e sem comida, enfim por todos os que padeciam de males físicos e espirituais. A música auxiliava…

Não sabia direito o significado da canção hebraica. Lembrava-me da citação do Shofar que é instrumento de sopro dos mais antigos, parecido com o berrante brasileiro, mas feito de chifre de carneiro, representando o animal sacrificado em lugar do filho único do Patriarca Abraão (Gênesis 22, 1 – 18). Abraão é considerado o Pai da Fé, de todos os crêem (Romanos 4,11). Ele é a raiz de todas as três grandes religiões monoteístas: Judaísmo, Cristianismo e Islamismo.

“Voltamos aos poços de água,
Ao mercado e à praça
O “shofar” chama no monte do templo
Na cidade velha.”

A canção divinamente cantada tocou-me o coração e a alma. Tentei entoar o refrão, repetia tal qual papagaio.

“Jerusalém de ouro
De bronze e de luz
Por que não ser eu o violino para todas as
suas canções?”

Transformei-a em oração cantada, tal qual o judeu rezando, balançando-se respeitosa e insistentemente diante do Muro das Lamentações. Ao procurar saber o motivo deles balançarem durante as orações, descobri que “a oração é uma atividade da alma e esta é como o fogo da chama de uma vela. Ela balança, bruxuleia, nunca é uma coluna ereta. Alma é como fogo. A alma do ser humano é a vela de Deus” conforme explica o rabino David Weitman.

Senti-me enlevado vivenciando a plenitude, durante o dia todo!

Findo o agraciado dia, à noite, participei com os irmãos de fé, da oração do terço, na casa de uma amiga, Yáskara Dakil (Não! Não é saudação hebraica, é o nome da pessoa querida por quem todos oravam) que passaria por uma delicada intervenção cirúrgica.

Era o dia dos mistérios gozosos.

Só recordando, os mistérios gozosos, dolorosos e gloriosos compõem o rosário completo. Desde outubro de 2002, conforme proposta do Santo Padre João Paulo II, temos os mistérios luminosos.

“A prática do Rosário remonta ao século XI, quando os religiosos que não sabiam ler, recitavam o Pai Nosso e a Ave-Maria, substituindo o ofício do coro. Estes monges recitavam 150 Ave-Marias, referindo-se aos 150 salmos; então, este era o Saltério de Maria. (…)
A palavra “rosário” surgiu do amor cortês. O rosarium, que significa um campo de rosas, designava uma compilação de poemas que um cavaleiro dedicava à sua dama. Saudar a Virgem Maria com as Ave-Marias significa oferecer-lhe rosas, meditando o Evangelho com a Santa Mãe de Deus.”

conforme o site catolicismoromano.com.br

Juntei os dois climas: o do dia radiante e o da oração comunitária. Na recitação das Ave-Marias, olhos cerrados, meditando os mistérios gozosos, o Espírito soprou:

Deus é mistério, cada um de nós é um mistério.
Somos imagem e semelhança divinas.
Somos Um, reunidos em oração.

Nossa! Quanta gente?

Revivemos a Didaqué (Catecismo dos primeiros cristãos) como alguém lembrou. Repartíamos tudo naquele momento. Um só pensamento e intento. Ou como nos Atos dos Apóstolos, escrito por São Lucas, capítulo 2, versículo 44: “Todos os fiéis viviam unidos e tinham tudo em comum”.

Experienciávamos o Paraíso, louvando ao Senhor.
Louvar é agradecer, elogiar, aplaudir, é reconhecer que Ele é a Providência Total.

Em casa, persistiríamos no louvor, unidos na oração em comum!
Intercessão e agradecimento ao Senhor da Vida, a comunidade reunida.
Em cada conta a saudação do anjo repetida.

Rima e solução!
No final, um aprendizado:
O céu é dos que o buscam no encontro com o próximo!

Yerushlayin Shel Zahav.
Shalom!

Separamos outros artigos que talvez possa interessar

18 respostas em “Experienciando o Paraíso”

Sr. Irineu, suas palavras faz crescer ainda mais a nossa fé e nós da força para continuar a nossa luta diário.Amo seus ensinamentos.Obrigada!Grande abraço.

Este trecho me chamou a atenção: “oração é uma atividade da alma e esta é como o fogo da chama de uma vela. Ela balança, bruxuleia, nunca é uma coluna ereta. Alma é como fogo. A alma do ser humano é a vela de Deus” . Como é importante a oração, como é importante pedir a intercessão de Nossa Senhora para nós e irmãos tão sofridos.
Parabéns, Irinei, pela sua sabedoria. Deus habita em seu coração.

O texto é uma aula elucidativa e depois, me emociono com os depoimentos da esposa Terezinha e do filho Rodrigo, os quais reconhecem como eu, a grandeza do literato Irineu.

O texto é uma aula elucidativa e depois, me emociono com os depoimentos da esposa Terezinha e do filho Rodrigo, os quais reconhecem como eu, a grandeza do literato Irineu.

O texto é uma aula elucidativa e depois, me emociono com os depoimentos da esposa Terezinha e do filho Rodrigo, os quais reconhecem como eu, a grandeza do literato Irineu.

O texto é uma aula elucidativa e depois, me emociono com os depoimentos da esposa Terezinha e do filho Rodrigo, os quais reconhecem como eu, a grandeza do literato Irineu.

O texto é uma aula elucidativa e depois, me emociono com os depoimentos da esposa Terezinha e do filho Rodrigo, os quais reconhecem como eu, a grandeza do literato Irineu.

Amigo gostei de veras do bruxeleiar da vela. Já o tinha visto acontecer inúmeras vezes, contudo, seu nome e significado aprendi contigo. Amigo inteligente e fiel a Deus, é sempre assim. Sempre que conversa traz algum ensinamento.
Agora, cá para nós a peça é da sua autoria, mas o ATOR Gilberto Macedo, deu uma entonação na voz que ficou uma locução profissional.
Mil parabéns aos dois. Nota mil ao autor da peça e mil também ao ator que deu vida ao texto. Obrigado por vocês existirem. Ha! Recomendações para que da próxima também tenha o autor da peça e, o ator narrando o espetáculo.

O belo e escorreito texto é didático em relação a teologia judaíco/cristã e até em relação a nossa difícil e mutante gramática. Aprendi três novas palavras que enriquecerão meu vocubulário. Obrigado pai. Após ouvir a narração com a trilha sonora ao fundo, a didática se transformou em êxtase, reflexão e muita paz. Que Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, continue curando e protegendo nossos parentes e amigos, principalmente, os mais necessitados e abençoando esse seu dom da escrita que nos ensina, a cada dia, e nos deixa com um sentimento de quero mais.

Tds os textos têm significados importantes, mas esse tem um profundo valor de reflexão na minha vida. Da impressão q não consigo recuperar o tempo perdido, mas logo acredito na busca do convívio eterno junto a Deus e aos próximos. Novamente te parabenizo amigo pela sua determinação em seguir o caminho q leva ao reino de Deus.
Grande abraço

Nessa pandemia me apeguei mais ainda com Deus! Oracoes e louvor para preservar minha mente sã. Comecei ler a bíblia desde o começo e vou ler até o fim. E também rezo o terço todos os dias, para minha Santa mãe Maria. Não tenho palavras para expressar o bem q me fez. Graças, curas …como a fé em Jesus transforma a vida!! Você está em minhas orações Irineu. Um abraço carinhoso 💖

E todo sentimento que eu estava vivendo hoje, veio nessa reflexão sua sr Irineu 🙏🙏🙏 que enquanto lia viajava nessas palavras, cada uma com o seu jeito minucioso de escrever, e isso acalmou muito meu 🙌 …. obrigada sr Irineu, por me proporcionar esse momento 🙌🙏

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.