Onde está Deus na pandemia?

Areopago-Irineu-Deus-na-Pandemia
Você pode também escutar esta crônica na voz de “Gilberto Macedo”

São aterrorizantes as notícias que preenchem os espaços da mídia impressa, falada e televisionada.

Nesses tempos de muita carência de recursos hospitalares, equipes médicas, leitos de UTI, incertezas e sofrimento, é plenamente compreensível que cada um de nós procure um meio de encontrar confiança, conforto e paz.

Não há como negar, entendemos nós, os cristãos; que a espiritualidade seja o caminho seguro para trilhar em meio à escuridão que nos circunda. O homem existe para adorar a Deus. Se não adorar o verdadeiro, fatalmente, adorará o falso. Um pensamento verdadeiro. Não tem escapatória.

Há uma força interior, um poder espiritual, uma fé que pode ser nutrida em relação a uma pessoa, a uma ideologia, à ciência, a uma filosofia. A nossa sempre foi dirigida à pessoa de Jesus Cristo, o único e bastante Messias, Deus Filho, a Verdade.

Vivemos sob o império da mentira. Há as chamadas “fake news” espalhadas por autoridades, pseudocientistas, influenciadores digitais. Vive-se a incerteza total. Aliado a tudo, há a enorme influência das poderosas indústrias farmacêuticas, o que aumenta ainda mais a dúvida sobre todas as orientações farmacológicas e sanitárias. Enfim, ninguém tem certeza de nada. A única certeza é uma confusão dos diabos que aumenta a chama da dúvida e da descrença na verdadeira ciência. Tudo isso temperado com o toque ideológico que só causa divisão, coloca-nos dentro de um túnel infindável em que a luz fica cada vez mais distante.

Diante da pandemia do Covid-19, alguns impõem o isolamento social para evitar a propagação do vírus, além do uso da máscara cobrindo boca e nariz, higienização das mãos com álcool gel. O lema “Fique em casa” é adotado quase por todos. Outros se contrapõem à medida isolacionista, negam a eficácia, desejam conseguir a imunidade de rebanho na base do enfrentamento de peito aberto, o que é rechaçado pela maioria das autoridades.

Enquanto persistir o conflito, o povo sofre as consequências nefastas. Só mesmo o conforto espiritual para as mentes e corações de todas as pessoas que vivem o fantasma da infecção.

Mas, teologicamente falando, estamos diante de um mistério; não um enigma, mas um mistério que nos leva a crer e confiar na Providência do Altíssimo. Sim, confiamos em Jesus de Nazaré que mesmo possuindo a natureza divina quis vivenciar na carne a natureza humana. Assim procedeu. Assim se humilhou. Assim, o Pai o elevou.

Daqui a pouco, a liturgia nos conduzirá à Páscoa Cristã. A Páscoa do povo hebreu celebrava a passagem da escravidão do Egito para a libertação comandada por Moisés. A nossa Páscoa é a passagem da morte para a vida. A ressurreição de Cristo. E é esse Cristo ressuscitado, o mesmo Cristo crucificado que nos traz a esperança de vitória sobre a morte. Mesmo que esta seja decorrente deste mal da pandemia, a certeza da vida eterna é o grande trunfo de nossa vida de fé.

E mesmo com todos esses subsídios teológicos, nada nos impede de, como Jó, reclamarmos a Deus, por tanta agrura e sofrimento, nem que peçamos o milagre para a recuperação de nossos amigos que estão intubados nos leitos de UTI país afora. É da natureza humana, faz parte do nosso ser. É o bem querer pessoal. No entanto, chega à hora em que a situação exige a entrega “seja feita a tua vontade” e, nessa hora, de diálogo de amor e entrega Deus é o suficiente interlocutor.

Às vezes, a nossa pequenez e fraqueza, indaga: “Onde está Deus na pandemia?”

Uma resposta encontrei na leitura de um texto cujo autor não me recordo e que diz que Deus se encontra nas vítimas, nos médicos, profissionais de saúde e todos os que trabalham no socorro e cura dos infectados, nos cientistas que estudam meios de combater a doença, nos que oram e intercedem pelos demais, incutindo esperança.

Não somos os donos da ciência e do desenvolvimento. Somos dependentes uns dos outros, não podemos sair às ruas, não devemos nos aglomerar, temos que valorizar o convívio familiar.

Aproveitamos as circunstâncias para refletir sobre a banalidade do mal, a iminência da morte, o significado verdadeiro da vida, da urgente necessidade de solidariedade acima de tudo.

Não desejo acreditar que seja um castigo, Deus é misericordioso! Não me é possível conceber que Ele se alegra com o sofrimento dos inocentes.

Nesse tempo de retiro forçado, um eficaz remédio espiritual é a oração: um recurso de petição, espera e agradecimento. Ante a pressa em que vivemos, os relacionamentos, a fala, a vivência, o dia a dia assoberbado, o tempo se apresenta à espera da nossa atitude. Continua o mesmo, nós que o vivenciamos de jeito diferente. É o convívio, o estar consigo e com os seus mais próximos sob o mesmo teto.

Momento de estancar o tempo para escutar o próprio silêncio.

Ouvir as batidas do coração dentro deste peito que parece querer gritar a plenos pulmões pela vacina para todos e a prece persistente: Senhor a vida é preciosa e precisa ser preservada para podermos prosseguir fazendo o bem, espalhando amor, e semeando a fé.

Atendei-nos, sem demora conforme a Sua Vontade.

Separamos outros artigos que talvez possa interessar

12 respostas em “Onde está Deus na pandemia?”

“Onde está Deus na pandemia?”. Creio que onde sempre esteve, olhando e protegendo seus filhos e lutando contra os inimigos. Infelizmente não é a primeira e provavelmente não será a última pandemia. Temos que ser fortes e resilientes para superar este momento. Não é fácil para quem perde um ente querido por esse vírus, mas o que talvez Deus queira de nós é ter a certeza de que mesmo nas adversidades o seu nome será sempre exaltado e lembrado, afinal, a nossa única certeza desde que nascemos é que um dia morreremos. Mas para nós cristãos a vida não para por aí: ressucitaremos na vida eterna, ao lado Dele, Nosso Senhor Jesus Cristo! Esse é o nosso único conforto quando lembramos de nossos entes queridos que já se foram.

Texto belíssimo, Irineu!!!
Nos conforta e nos induz à uma boa reflexão!
Que tenhamos fé e esperança, pois com as bênçãos de Deus todo misericórdioso sairemos dessa crise melhores, mais tolerantes, mais generosos, mais fraternos e com maior espírito de coletividade!
Para você e toda a família ,uma Semana Santa abençoada !

Bela reflexão surgem como um balsamo diante das duvidas,incertezas e medos…A Igreja é sabia e o Espirito Santo nos conduz neste tempo cujo catequeticamente chamamos de Semana Santa…A metodologia catequetica que a Igreja nos convida a Refletir e mergulhar no misterio Pascal faz-se sintonia com a sua reflexão.Nos trazendo conforto esperança e a certeza que o Senhor esta cuidando de tudo…Fazendo-se presente no meio dos profissionais da saude profissionais esses que a proppria ciência não explica a vocação a qual o Senhor os confiou capaz de arriscar suas vidas em favor da vida por amor a profissão.Essa entrega ,dedicação,entusiamos mesmo diante de tantos desafios permite viver e sentira experiencia na pratica a entrega do Senhor no monte da oliveiras…com o sentimento esperansoço da Pascoal que nasce e renasce em nossos corações…Obrigada Irineu por despertar em mim este convite orante em contextualizar todo caminho de vida,morte e Ressurreição diante deste cenário que o mundo em especial o nosso País chamado Brasil esta vivendo…Que todos possamos sair desta crise fortalecidos,no amor ,na fé e na caridade..
Tenha uma abençoada Semana Santa!

Tenho ao longo do tempo, lido muitos textos com comentários brilhantes, porém esse é o ponto máximo para reflexões. Caro amigo, no dia q escreveu estava em pleno estado espiritual, não encontro palavras para agradecer, mas do meu jeito e com muito amor. Parabéns Irineu…

Belíssimo texto 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼e que nos conforta muito…
Não me canso de ler seus textos, pq todos são grandes ensinamentos !!!

Oportuníssima sua reflexão, Irineu. Expressou, em palavras, o sentimento de muitos de nós. Seu texto trouxe-me à memória as palavras de um colega em comum (LUDINEI M. VIAN – PUC RS).
“A realidade questiona sobre o porquê do sofrimento. Descobrimos a partir deste questionamento que Deus é Silêncio e Palavra. Deus está oculto e se manifesta, Ele não se ausenta, está ao nosso lado. No Silêncio de Deus, que é presença, compreendemos a oportunidade dada ao ser humano de construir sua História usufruindo de sua liberdade”.

❣obg a todos e a todas. Gilberto, Irineu… o texto é bom, mesmo nosso Giba ñ sendo fiel (rrr) às palavras do texto, é possível compreender o sentido e o valor cristão, isto é, o que mais importa pra nós.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.